segunda-feira, 15 de novembro de 2010

Resenha Postada pelo Blogueiro Leitor

Resenha: A Escolha de Cada Um – Regina Monge

aescolha
MONGE, Regina. A Ecolha de Cada Um.Osasco: Novo Século, 2010. 160 p.

Sinopse:
A Escolha de Cada Um traz, em sua primeira parte, a história de um personagem inédito: um livro dotado de emoções e sentimentos, narrando sua trajetória. Ao lado de seu autor, a obra fica na expectativa pelo sucesso editorial; depois fica órfão e cai no ostracismo, vivendo a experiência das críticas depreciativas, até ser descoberto e se transformar num dos maiores bestseller mundiais.
Na segunda parte, o enredo gira em torno de Anna, uma executiva bem-sucedida, com uma vida quase perfeita, exceto pelo grande vazio que existe em sua alma. Seu maior medo é voltar a amar. Estressada com o trabalho, Anna parte em viagem para Petra, na Jordânia, um sonho almejado há tempos. Lá conhece John, um turista americano e nasce uma grande paixão entre os dois. Uma semana depois, de volta ao Brasil, ela tenta, sem sucesso, comunicar-se com ele. Desesperada, decide viajar até Nova York para buscar respostas; porém, quando chega ao endereço dele, tem uma grande revelação. Com um final surpreendente, A Escolha de Cada Um é um verdadeiro registro de ideias inspiradoras. Mostra a obrigação de se lutar por nossos sonhos pessoais e permitir ao Universo conceder-nos suas bênçãos. A grande lição é crer em todas as possibilidades oferecidas pela vida e ter a coragem de fazer nossas escolhas.


Me surpreendi com esse livro da Regina. São poucos os livros que conseguem me tocar com uma mensagem, me alertando para algo que estou fazendo de errado em minha vida. Para quem acha que esse livro é um de auto-ajuda está muito enganado, o livro é bem o estilo dos jovens, com pitadas de momentos sobrenaturais e tudo mais.


O livro é dividido em duas partes. A primeira é narrada em primeira pessoa por um personagem um tanto inusitado, um livro. Esse livro nos conta detalhes que vão da vida de seu autor ao momento de sua publicação. Ao decorrer da primeira parte ele vai atingindo a fama que tanto desejava, devido ao seu conteúdo que todos que lêem adoram. Eu começei a ficar curioso quando estava lendo, queria saber do que tratava esse livro que todos adoravam. Começa então a segunda parte, onde é desenvolvido o conteúdo do livro. Achei isso muito interessante, me passou a sensação de que os personagens do livro são reais, pois estávamos lendo o que eles leram e adoraram. Essa segunda parte conta a vida de Anna, uma mulher bem sucedida porém ao perder o namorado em um acidente, se tornou uma pessoa fechada para novas possibilidades. Irei contar apenas isso, não quero não fazer spoiler. Ao decorrer da leitura, vamos tendo algumas lições, aprendendo algumas pequenas coisas que fazemos de errado que atrapalham a nossa vida. Além disso, a Regina colocou elementos sobrenaturais em sua obra, nada forçado, tudo combina com o clima do livro.
Recomendo para todos, um livro excelente que nos alerta de como estamos vivendo, se estamos fazendo algo para melhorar nossa qualidade vida.

PS.: O livro traz alguns trechos um tanto ‘’quentes’’ com alguns personagens, tudo combina muito com o livro, mas aos conservadores recomendo ficarem alerta. =D
NOTA: 5/5

Resenha postada pelo blog Mundo Sobre Linhas

A Escolha de Cada Um – Regina Monge

livraria 167

A Escolha de Cada Um faz parte da coleção Novos Talentos da Literatura Brasileira e foi escrito pela Regina Monge, graças a suas escolhas temos agora mais um livro magnifico em nossa literatura.

Na primeira parte do livro a história de um personagem inédito nos é mostrado: um livro dotado de emoções e sentimentos, narrando sua própria trajetória. Ao lado de seu autor, a obra fica na expectativa pelo sucesso editorial; depois fica órfão e cai no ostracismo, vivendo a experiência das críticas depreciativas, até ser descoberto e se transformar num dos maiores best-seller mundiais.
Na segunda parte, o enredo gira em torno de Anna, uma executiva bem-sucedida, com uma vida quase perfeita, exceto pelo grande vazio que existe em sua alma. Seu maior medo é voltar a amar. Estressada com o trabalho, Anna parte em viagem para Petra, na Jordânia, um sonho almejado há tempos. Lá conhece John, um turista americano e nasce uma grande paixão entre os dois. Uma semana depois, de volta ao Brasil, ela tenta, sem sucesso, comunicar-se com ele. Desesperada, decide viajar até Nova York para buscar respostas; porém, quando chega ao endereço dele, tem uma grande revelação. Com um final surpreendente, A Escolha de Cada Um é um verdadeiro registro de idéias inspiradoras. Mostra a obrigação de se lutar por nossos sonhos pessoais e permitir ao Universo conceder-nos suas bênçãos. A grande lição é crer em todas as possibilidades oferecidas pela vida e ter a coragem de fazer nossas escolhas.

Regina Monge foi muito guerreira ao criar uma história regida de tantas emoções, nunca havia lido um livro que conta a sua própria história e trajetória de vida … No começo tudo fica meio confuso pois não esperamos que o próprio livro seja o narrador desta história, ele mostra a sua trajetória desde os dias em que ficou pegando pó em uma livraria após tantas criticas até que enfim se vê redescoberto e mostrado ao publico em uma rede de TV, e graças a este programa o nosso pequeno livro vem com tudo, mostrando aos espectadores e leitores o que realmente se contem de bom nestas paginas … É claro que nós leitores ficamos curiosos para saber, nossa se o livro conta a sua história de vida, como vamos saber o que contem nele … Então a autora completou as paginas matando a nossa curiosidade … Na segunda parte do livro A Escolha de Cada Um, podemos enfim ler … mas desta vez acompanhamos tudo de parto aos olhos de Anna, a nossa personagem principal, com os seus medos e inseguranças, ela tenta encarar tudo de frente, mas somente anos depois de uma tragédia emocional. Ao começar o seu acompanhamento psiquiátrico, mas somente com muita insistência da amiga, Anna vê que esta um pouco melhor e resolve realizar um sonho antigo, ir conhecer a Cidade de Petra na Jordânia … Lá ela vai ter momentos de paz espiritual, fará as suas escolhas e o melhor, conhecer John … mas seu destino ainda trama muitas coisas para ela … em questão de semanas sua vida mudará … ela vai abrir os olhos e tentar enfim ser feliz e se sentir completa … Com muita garra e firmeza tudo se resolve em um final surpreende e maravilhoso!

O Sr. Livro fala palavras sabias também!

"Nós, os livros também temos sentimentos, nunca se esqueçam!"

"Ser lido é o sonho de qualquer livro... Ser lido é existir nesse mundo das letras e das lutas"

"Precisamos nos unir, nós, os livros, por meio de nossos conteúdos, com nossas mensagens de mudanças, e vocês, leitores, para operar uma transformação de otimismo no mundo, para melhorar a existência de toda Humanidade"

Nossa vida é um caminho, uma grande aventura com momentos de pausa obrigatória em que devemos fazer escolhas … Anna faz as suas escolhas, aprende a viver, a se libertar do passado e viver o presente com amor e carinho … E vocês leitores, sabem a hora de parar e refazer as escolhas certas ??

Parabéns a Regina Monge por este livro maravilhoso e que com toda a certeza fica gravado e traz lembranças ótima a nós leitores!

sábado, 6 de novembro de 2010

Comentário postado no skoob pelo jornalista Paulo Antunes



“A Escolha de cada um”

Paulo Antunes*

Já não é sem tempo de saldar a dívida com a jovem escritora Regina Monge que acaba de lançar “A Escolha de cada um”, seu primeiro romance, pela Editora Novo Século, no contexto da coleção “novos talentos da literatura brasileira”. Digo que estou em divida porque aos amigos não se faz esperar e, no meu caso, em relação ao livro de Regina cometi o pecado da demora. Vou tentar compensar.

Primeiro, após a seção de autógrafos em uma noite fria paulistana de julho, coloquei o livro entre aqueles que seriam lidos, visto que envolvido que estou com estudos, pesquisas e cursos sobre a história do cinema, tinha o dever de dar conta de alguns deles para cumprir com as responsabilidades. O tempo foi passando e “A Escolha....” permanecia ali em minha mesa de trabalho, como que me fitando, indicando que ali estava uma criação que me foi apresentada e eu devia, portanto, dar conta de promover o diálogo entre o autor e o leitor, quando toda e qualquer obra efetivamente se realiza.

Regina Monge é uma amiga recente. Acho que já posso fazer essa afirmação. Pelos desígnios da vida quis o destino que nos encontrássemos. Foi no curso “História e Linguagem do Cinema”, na PUC/Cogeae, em São Paulo, que nos conhecemos. De simples colegas de sala de aula, passando pela troca de impressões e informações sobre filmes, diretores, fomos nos conhecendo e soubemos que os nossos afazeres profissionais poderiam se complementar em parceria de trabalho, tanto que depois de terminado o curso, por diversas vezes, tivemos a oportunidade de oferecer nossos serviços para empresas necessitadas de um bom trabalho de comunicação corporativa, por exemplo.

Bem, mas o que interessa é “A Escolha de Cada Um”. A leitura é muito agradável e se não tomamos o cuidado absorvemos a obra de um só impulso. Não sou desse tipo de leitor. Gosto de estar com os personagens, sejam eles de ficção ou não, por um bom tempo, para, por assim dizer, conviver com eles, suas histórias, partilhar de seus problemas, angústias, alegrias e realizações. Afinal, o autor consome um longo tempo para maturar sua história, construir seus personagens, e não considero justo e correto que o leitor de conta da obra sem os devidos cuidados e atenção. Foi assim com o livro de Regina Monge. Tomei-o para mim em uma dose de cinco ou seis encontros.

Cumprida a tarefa passei a promover uma espécie de decantação da história, seus personagens e encará-los frente à autora do livro que acabara de conhecer nos últimos dois anos. O que posso dizer como leitor e não como crítico literário, coisa que efetivamente não sou, é que o trabalho de Regina Monge surpreende. Surpreende positivamente. Sua escrita corre solta, desenvolta, principalmente na segunda parte do livro, quando somos apresentados à história que nos é informada na primeira parte da obra, quando ninguém menos que “um livro” é o personagem principal que dialoga com os leitores, sobre a trajetória que "Ele", enfrenta para emergir das intenções da autora, ser efetivamente edificado como obra e posteriormente transformado em um produto pela gráfica e editora, até chegar às prateleiras das livrarias, bibliotecas e estantes daqueles que efetivamente vão materializar a obra: os leitores.

Confesso que apreciei mais a segunda parte, quando a autora parece mais senhora de si, conhecedora dos assuntos e onde constrói personagens vivos e atraentes que tem uma experiência de vida para nos contar. Compreensível, porque afinal não é fácil tornar um ser inanimado em um personagem com características humanas. Isso não é inédito. No cinema, na literatura já existem outros exemplos onde seres inanimados ganham a dimensão humana da razão e dos sentimentos. Há também os casos de seres vivos como os animais e plantas que ganham características dos seres humanos, muito notabilizados em filmes e desenhos animados. No caso de Regina a coisa funciona e bem. Sua escrita curta incisiva e objetiva dá o tom e constrói esse personagem “o livro” nas páginas do livro que estamos lendo e que mais adiante vai nos contar uma história fadada ao sucesso.

É nessa segunda parte, porém, onde Regina expõe e explicita uma linda história de amor, com personagens sempre bem resolvidos, com vidas para cima num mundo bastante idealizado, sem grandes contradições. Contudo, a história nos reserva surpresas quanto a um dos personagens que vem de algum lugar para indicar o caminho a seguir para a personagem central. Não vou adiante para não estragar a surpresa dos futuros leitores. Nesse particular, aliás, não é de modo algum “oportunismo” da autora tratar do tema da transcendência da vida, um dos temas do “boom” editorial do espiritismo que chega com muito mais força na literatura e no cinema nacional ao trazer para as telas o médium Chico Xavier. Sim, não se trata de senso de oportunidade porque como bem sabemos, nós os amigos de Regina, ela revela que a idéia do livro nasceu há muito tempo e foi acalentada por mais de uma década.

Oxalá, o livro se aproveite do “boom” literário que no momento se apresenta para surfar a onda e os bons ventos do sucesso. Tenho certeza de que o leitor não se arrependerá.

Para concluir tenho apenas um reparo. Regina tem um estilo mais seco, os cortes das frases curtas se assemelham à edição de cenas de cinema. Na verdade gostaria de prosseguir convivendo mais com seus personagens e isso neste caso ficou restrito às 157 páginas de seu pequeno romance. Competente como é deve ter pensado ao colocar o ponto final em sua história: “este é apenas um capítulo de uma história de sucesso que espero construir”. Pela amostra não tenho dúvida disso.

Na dedicatória que fez no meu exemplar, Regina disse que recentemente eu havia sido uma conquista muito especial para ela. De fato, todos os dias somos postos diante de situações, pessoas, desafios e devemos fazer nossas escolhas. Quando assim procedemos, ou seja, escolhemos alguém para partilhar a amizade isso é muito importante e nos torna sempre mais ricos como seres humanos. É assim que me sinto em relação à amiga Regina Monge, cuja convivência começou em uma sala de aula e agora se espraia pelo universo como mais uma energia positiva em prol da paz, do amor e do entendimento entre os seres humanos. Nesses tempos isso não é pouco.

Paulo Antunes é jornalista especializado em assuntos de meio ambiente e pesquisador da história do cinema.

A Escolha de Cada Um

Entrevista publicada no blog: Faz de Conta:

http://fazdiconta.blogspot.com/2010/11/faz-de-conta-entrevista-regina-monge.html

Faz de Conta Entrevista: Regina Monge

Regina Monge, autora do livro 'A Escolha de Cada Um' conversou com a gente sobre a experiência de ter seu livro finalizado. Sua obra foi publicada com o selo 'Novos Talentos da Literatura Brasileira' e é um sucesso, desde então. Ela conta um pouco sobre suas preferências na literatura e sobre seus novos projetos. Para os fans da autora, tem novidades em breve! A autora pensa em levar adiante outros projetos literários. Estamos aguardando, Regina!



'Regina autografando seu livro A Escolha de Cada Um.'



1- Regina, como surgiu em sua mente, à idéia para o livro ‘A Escolha de Cada Um’ ?

Gostaria de dizer, antes de mais nada, que é um prazer poder conceder essa entrevista ao blog Faz de Conta e compartilhar um pouco da minha vida com todos os leitores que por aqui passam.

Aqui a história é longa (rsrsrsr)... eu já morava em São Paulo, no ano de 1991 e trabalhava na área de contabilidade, em uma indústria metalúrgica; era um ambiente de trabalho gostoso, porém muito tedioso, com uma rotina de atividades sem novidades, exceto as mudanças na legislação contábil.

Eu sabia que aquele tipo de trabalho não combinava com a minha personalidade e, num dia de pouco trabalho, decidi escrever um livro. Nos dias seguintes, dei início a esse projeto. Agora vem uma parte que muitos de vocês, leitores, não vivenciaram; peguei algumas folhas de papel sulfite e comecei a datilografar em uma máquina de escrever manual. Computador, naquela época, ainda era raro em muitas empresas. Tenho essas folhas iniciais guardadas até hoje, já estão amareladas pelo tempo, mas esse foi o começo de tudo. Comecei a digitar as palavras que foram formando as frases e, essas, dando vida à história; quando percebi, já tinha o personagem principal da primeira parte.

Escrevi umas trinta páginas e deixei arquivado por mais de uma década.

Muitas coisas aconteceram em minha vida nesse período e, em 2002, num dia tranqüilo em casa, veio o impulso para retomar o projeto e, com ele, a inspiração para a segunda parte do livro, sem o final ainda definido.

Registrei a ideia principal e arquivei o projeto por mais seis anos. Foi então, em 2008, que decidi finalizá-lo e recomecei a escrever. Muitas coisas mudaram, desde os primeiros registros, mas o eixo principal se manteve intacto, desde o início. Hoje entendo que não preciso esperar tanto para escrever mas, naquela época, havia outras conquistas para batalhar e tudo aconteceu conforme as minhas escolhas.


2- Em seu livro, podemos perceber um estilo de escrita pouco convencional. Você se inspira em algum autor?

Confesso que tudo foi acontecendo sem procura de referência de autor ou estilo, simplesmente fui escrevendo. Ao escrever o primeiro livro, ainda estamos buscando nosso estilo de colocar nossas idéias por meio de palavras no papel. Vem a publicação e começamos a receber os feedbacks; então, começamos a analisar as observações e exigências dos leitores.

Uns pedem mais pormenores da trama e/ou dos personagens, outro um maior número de páginas... assim acontece um grande processo, como a construção. É uma grande descoberta estou encontrando meu próprio estilo.

3- Quem são seus autores brasileiros preferidos?

A literatura nacional é vasta e rica, há grandes obras e escritores como Machado de Assis, Guimarães Rosa, Monteiro Lobato. Nelson Rodrigues, Álvares de Azevedo, Ariano Suassuma, Caio Fernando Abreu, Carlos Drummond de Andrade, Castro Alves, Cecília Meireles, Érico Veríssimo, Graciliano Ramos, Guimarães Rosa, Raduan Nassar, a lista é grande....

Recentemente, finalizei a leitura da biografia da Clarice Lispector, escrita por Benjamin Moser, e neste momento, talvez ainda influenciada pela recente leitura, diria que é a minha favorita, simplesmente genial.

4- Em sua opinião, um livro pode mudar a convicção de alguém sobre um assunto?

Na minha opinião, sim, claro. Resta saber se a pessoa é propensa a mudanças, a transformações. Vivemos em um planeta em movimento e precisamos mudar o tempo todo, pensamentos, idéias, atitudes, conceitos, comportamentos, convicções...

Mudar não significa ou representa que estávamos “errados” em nossa visão a respeito de determinado assunto ou postura; foi aquele momento, já ficou no passado. O minuto seguinte já é outro contexto, mudar faz bem, é saudável, recicla nossa energia e contato com o Universo. Mudar não é imposição, é escolha!

5- Quanto tempo, em média, você levou até que a história estivesse finalizada e pronta para ir para a gráfica?

Desde que finalizei o projeto, no segundo semestre de 2008, enviei os originais para várias editoras e, em alguns casos, eu mal postava o original e, dois dias depois, recebia uma carta padrão, dizendo que o catálogo da editora para próximas publicações estava completo, para o próximo período de dois anos. Foi só no final de 2009 que consegui uma resposta positiva da Novo Século Editora, querendo publicar meu livro. Assinei um contrato em outubro e, no início de 2010, revisei o livro para publicação, e no final de julho ele foi lançado na livraria Saraiva.

6- A capa de ‘A Escolha de Cada Um’ parece ter um significado implícito e é convidativa ao ponto aguçar a curiosidade do leitor. Como foi o processo de escolha da arte da capa?

Normalmente, a editora cria a capa do livro para o autor e o autor aprova, no meu caso fiz o processo inverso. Como o livro é composto por duas partes e uma história ligada à outra, a capa era um grande desafio. Como criar algo com algum significado que pudesse representar as duas partes? Trabalhei com um design gráfico que conheço e faz outros trabalhos para minha empresa; chegamos a três opções finais de capa e apresentamos para a editora. A partir daí, a editora fez algumas solicitações para adaptação e chegamos a essa capa, com uma grande mensagem subliminar; você captou bem. Mas a interpretação do significado desse olhar cabe a cada leitor...


7- Como foi a sensação de ter sua obra publicada?

Entre escrever um livro e vê-lo publicado há um longo e lento processo, com muitos pormenores; tem a primeira revisão, a segunda, as opções de capa para escolher, definição de local e data de lançamento, e tudo isso já é muito gratificante.

Receber o livro impresso é um momento especial, sem dúvida, mas para mim o mais emocionante foi a noite do lançamento, na Livraria Saraiva, aqui em São Paulo. A emoção de ver meu livro em destaque no balcão da livraria, ver uma pilha exposta em uma ilha principal e as pessoas que começavam a formar filas para receber meu autógrafo; esse foi o momento mais emocionante, quando me senti, verdadeiramente, autora de uma obra.

8- Existe algum novo projeto em andamento?

Tenho três sinopses prontas que considero bem legais para começar a escrever. O difícil será precisar esse início; como minha atividade principal demanda muito de mim, sobra pouco tempo para a literatura e ainda estou no processo de divulgação de “A Escolha de Cada Um”. Mas vocês podem esperar por algo bem legal, a única certeza que posso prometer é que não vou demorar tanto para escrever como foi esse primeiro. Talvez eu inicie por um projeto que vai contar a história de uma personagem jovem, que em uma viagem para a Europa e em visita a um determinado ponto turístico, vai começar a sentir reminiscências de uma vida passada, vivida na Idade Média.

9- Você está lendo algum livro atualmente?
Sim, dois ao mesmo tempo e dois na fila. Como mencionei, acabei de ler a biografia da Clarice Lispector, estou lendo seu primeiro romance “Perto do Coração Selvagem” e na espera está “A paixão segundo G.H.” e releitura da “A Hora da Estrela”, ambos da autora.

Em paralelo estou bem no começo do livro “A Lógica do Cisne Negro”, de Nassim Nicholas Taleb, com uma instigante narrativa sobre as pessoas , no mundo antigo, convencidas de que todos os cisnes eram brancos, até se depararem com o primeiro cisne negro. É um livro profundo e relata o impacto do altamente improvável.

10- Que recado você deixaria para os leitores de ‘A Escolha de Cada Um’?

Gostaria de encerrar com um pedido: Se vocês tiverem a oportunidade de ler “A Escolha de Cada Um”, meu filhote primogênito, e gostarem do enredo, das mensagens e personagens, divulguem a seus familiares, amigos, a todos seus contatos na rede. Vamos ver se com essa corrente boca a boca, ele possa atingir o maior número de pessoas e , assim, cumprir sua missão.

Para quem quiser me escrever, para registrar sua opinião, perguntar algo, sugerir, deixo meu e-mail à disposição: autora_aescolha@terra.com.br e meu twitter: @ReginaMonge

resenha postada pelo Blog Cantinho Ju Oliveira: http://juoliveira.com/cantinho/?p=795#comment-663

Resenha: A escolha de cada um


A Escolha de Cada Um nos ensina a reconhecer nossas limitações, nossos problemas, e nos impulsiona a ir ao encontro das soluções, buscar as oportunidades que a vida nos oferece. Alerta-nos para combatermos nossa inércia, nosso amortecimento, pois eles nos imobilizam, impedindo-nos de enxergar acontecimentos importantes. Esquecer o passado e ir em busca de nossos sonhos, nossos ideais. Ensina também que a existência continua, mostra um caminho iluminado, deixando-nos ver os obstáculos a superar. Dá a todos os mesmos direitos: à felicidade, ao sucesso, ao amor. Ele nos ensina a fazer escolhas. Escolhas certas. É um livro instigante, porque mistura realidade cotidiana com trechos totalmente surrealistas, História; e fala, acima de tudo, sobre o amor e seu poder de transformação.

Terminei a leitura do livro a dois dias. E até agora estou extasiada com a belíssima história criada por Regina Monge. O livro se divide em duas partes. A primeira parte o narrador é um livro. Isso mesmo, um livro que possui sentimentos. Narrando sua tragetória desde sua criação, quando começava a ser escrito por seu autor até suas não tão bem sucedidas vendas nas livrarias. Parece um pouco surreal, mas a narração do livro é tão tocante, tão sentimental, que agora sempre que vou ler um livro, começo a imaginar… e se esse livro tivesse também sentimentos? O livro sofre muito com as críticas e com a má aceitação dos leitores. Fica encalhado durante vários meses nas prateleiras da livraria. Até que um dia tudo isso muda…

Na segunda parte conhecemos a história de Ana, uma bem sucedida editora de uma revista de finanças. Aos 42 anos e desiludida com sua vida amorosa, desde que um trágico acidente tirou a vida de seu grande amor, 20 anos atrás. Ela acaba se acomodando com sua situação e se fecha totalmente para o amor. Até que em uma viagem a Petra, tudo se transforma em sua vida. E seus olhos voltam a brilhar novamente… Acho bom parar por aqui, senão eu me empolgo e acabo contando toda a história. O final é surpreendente, maravilhoso. Definitivamente, eu amei esse livro. Regina, muito obrigada por me permitir conhecer essa belíssima história de amor, superação e escolhas. Eu super recomendo esse livro.

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Entrevista postado pelo blog Nanie´s World




Mais uma entrevista no blog! A entrevista de hoje é com a escritora Regina Monge, autora do livro A Escolha de Cada Um. Se você ainda não leu a minha opinião sobre o livro, clique aqui para ler a resenha. Se você já leu, adorou e está de olho nesse livro, não perca a oportunidade de participar da promoção valendo um exemplar autografado do livro clicando aqui.
Espero que gostem da entrevista.


1) Qual o seu nome completo, quantos anos você tem e onde você nasceu?
Em primeiro lugar, quero agradecer a oportunidade de conceder essa entrevista e estou muito feliz em poder compartilhar um pouco da minha vida com os amigos seguidores deste conceituado blog.
Meu nome completo é Maria Regina Monge, tenho 43 anos e nasci no interior de São Paulo, num dos menores municípios do Estado, a estância turística de Águas de São Pedro. Saí de lá aos 21 anos e e vim para São Paulo, onde vivo até hoje.


2) Quando você descobriu essa sua veia de escritora e como isso aconteceu?
Quando adolescente, entre os 12 e 15 anos, mesmo nascida em uma família simples, com pouco acesso à cultura, numa época em que a informação não era tão rápida como nos dias de hoje, comecei a escrever algumas poesias e a colecionar frases de grandes pensadores que, de alguma forma, tocavam meu espírito inquieto, desde aquela época.

3) De onde veio a inspiração para escrever "A Escolha de Cada Um"?
Aqui a história é mais longa (rsrsrsr)... eu já morava em São Paulo, no ano de 1991 e trabalhava na área de contabilidade em uma indústria metalúrgica; era um ambiente de trabalho gostoso, porém era tudo muito tedioso, era uma rotina de atividades sem novidades, exceto as mudanças na legislação contábil. Eu sabia que aquele tipo de trabalho não combinava com a minha personalidade e, num dia de pouco trabalho, decidi escrever um livro. Nos dias seguintes, dei início a esse projeto. Agora vem uma parte que muitos de vocês, leitores, não vivenciaram; peguei algumas folhas de papel sulfite e comecei a datilografar em uma máquina de escrever manual. Computador, naquela época, ainda era raro em muitas empresas. Tenho essas folhas iniciais guardadas até hoje, já estão amareladas pelo tempo, mas foi nessa época o início de tudo. Datilografei umas trinta páginas e arquivei o projeto por mais de uma década.
Muitas coisas aconteceram em minha vida durante esse período e no ano de 2002, num dia tranqüilo, em casa, veio o impulso para retomar o projeto e com ele a inspiração para a segunda parte do livro, sem o final ainda definido.
Registrei a ideia principal e arquivei o projeto por mais seis anos. Foi então, no ano de 2008, que decidi finalizá-lo e recomecei a escrever. Muitas coisas mudaram, desde os primeiros registros, mas o eixo principal se manteve intacto, desde o início.

4) Você tem alguma outra atividade profissional além de escritora? Essa atividade influencia sua escrita?
Sou formada em Comunicação, com especialização em Propaganda e MBA em Marketing e trabalho, desde 1993 com essa atividade. Em 2009, iniciei minha própria agência, ainda em formação, e que requer toda a minha atenção neste momento. Para quem quiser visitá-la , o site é www.vertscomunicacao.com.br.
Em 2009, finalizei um curso de extensão sobre História e Linguagem do Cinema, outra paixão, além da literatura.
O fato de trabalhar com comunicação, gostar de temas como história, artes em geral, filosofia, mitologia sempre agrega aspectos positivos no processo da criação.
O projeto de escrever esse livro foi de caráter pessoal. Quem sabe, um dia, eu possa viver de literatura... é um grande sonho.

5) Você já tem algum outro livro esperando publicação?
Tenho outros projetos para iniciar. São mais quatro sinopses para outros livros, registradas no computador, porém tudo vai depender de como será o comportamento desse primeiro, para decidir em qual momento iniciarei um deles. Tenho uma mente muito fértil e ideias nunca me faltaram e espero continuar a tê-las. Espero, principalmente ter tempo para poder me dedicar a escrever. Hoje não escrevo, como gostaria, por pura falta de tempo mas, vamos devagar, pouco a pouco.

6) Foi muito difícil para conseguir publicar o seu livro?
Desde que finalizei o projeto, no segundo semestre de 2008, enviei os originais para várias editoras e, em alguns casos, eu mal postava o original e, dois dias depois, recebia uma carta padrão, dizendo que o catálogo da editora para próximas publicações estava completo, para o próximo período de dois anos. Foi só no final de 2009 que consegui uma resposta positiva da Novo Século Editora, querendo publicar meu livro. Assinei um contrato com eles e, no início de 2010, revisei o livro para publicação, e no final de julho ele foi lançado na livraria Saraiva.

7) Qual sua dica para quem quer seguir a carreira de escritor?
Primeiro, se a pessoa realmente quer escrever, que ela nunca desista desse sonho, mesmo parecendo inatingível. Em segundo, não tenha pressa, pois é um processo lento, na maioria das vezes. E, por último, ter muita consciência do que vai escrever, porque podemos receber críticas positivas e, também, negativas e precisamos estar preparados para ambas.

8) Na sua opinião, qual é a importância da literatura na vida das pessoas?
Literatura é fundamental na vida das pessoas. Ainda somos um país que lê pouco se comparado com os demais, inclusive com nossos vizinhos da América Latina; faz parte da nossa cultura, esse atraso. É verdade que temos evoluído nesse quesito, já foi muito pior, mas ainda é um processo lento. Podemos conhecer o mundo através das letras, conhecer pessoas por meio dos personagens, vivenciar épocas passadas ou futuras; além de trazer conhecimento e prazer , a leitura nos dá experiência de vida.

Agora algumas perguntinhas rapidinhas para o leitor te conhecer melhor:
Aqui é a parte mais difícil: escolher apenas uma; por isso, peço licença para colocar até duas respostas, em alguns casos.

a) Um livro: são muitos, mas citarei dois: Dom Quixote de La Mancha – Miguel de Cervantes e a Divina Comédia – Dante Alighieri.
b) Um(a) autor(a): Philip Roth
c) Uma música: Private Dancer (Tina Turner)
d) Um(a) cantor(a)/banda: Amy Winehouse
e) Um filme: também são muitos, mas vou colocar os dois melhores, do ano passado (2009), na minha opinião e para quem gosta de cinema autoral – Bastardos Inglórios – Quentin Tarantino e AntiCristo – Lars Von Trier.
f) Um(a) ator/atriz: Johnny Depp
g) Uma pessoa: Leonardo Da Vinci
h) Uma frase: Se não houver frutos, valeu a beleza das flores. Se não houver flores, valeu a sombra das folhas. Se não houver folhas, valeu a intenção da semente” – há várias controvérsias sobre a autoria dessa frase, desconheço o verdadeiro autor.

Muito obrigada pela entrevista.

http://naniedias.blogspot.com/2010/11/entrevista-regina-monge.html


segunda-feira, 1 de novembro de 2010

A Escolha de Cada Um


Resenha postada pelo blog: MundoportrasdaMinhaParede.blogspot.com:

A escolha de cada um por Regina Monge

A escolha de cada um

Autora: Regina Monge
ISBN: 978-85-7679-335-9
Edirota : Novo Século
Coleção Novos talentos da literatura brasileira
Páginas: 160
Ano: 2010
Avaliação:

Sinopse:

A Escolha de Cada Um nos ensina a reconhecer nossas limitações, nossos problemas, e nos impulsiona a ir ao encontro das soluções, buscar as oportunidades que a vida nos oferece. Alerta-nos para combatermos nossa inércia, nosso amortecimento, pois eles nos imobilizam, impedindo-nos de enxergar acontecimentos importantes. Esquecer o passado e ir em busca de nossos sonhos, nossos ideais. Ensina também que a existência continua, mostra um caminho iluminado, deixando-nos ver os obstáculos a superar. Dá a todos os mesmos direitos: à felicidade, ao sucesso, ao amor. Ele nos ensina a fazer escolhas. Escolhas certas. É um livro instigante, porque mistura realidade cotidiana com trechos totalmente surrealistas, História; e fala, acima de tudo, sobre o amor e seu poder de transformação.
Resenha:Esta obra de Regina Monge é dividida em duas partes:
A primeira parte conta a história de um livro, dotado de emoções e sentimentos,que narra sua trajetória desde seu nascimento, até seu reconhecimento.
Primeiramente,começa com o livro falando do seu criador,de como ele tinha feito sucesso com seu primeiro romance, ganhando muito dinheiro, e consequentemente sofreu grande pressão da mídia para lançar outro livro tão fantástico como aquele.

Mas ele não escrevia por obrigação e sim por puro prazer, então decidiu se afastar de tudo e viajar com sua mulher por vários países.

Neste tempo escreveu outros livros, mas não queria publica-los por medo da mídia,Porque o que a mídia faz crescer e virar sucesso , ela destrói completamente.

Porém, vinte anos depois, ele decidi lançar um livro e para sua surpresa o livro foi um grande fiasco.
Destruiram sua imagem com todas as críticas sem ao menos ter lido o livro até o final, e assim,o livro ficou lá largado na última prateleira de uma livraria, sem ninguém nunca te-lo tocado.

O livro já não tinha mais esperanças de ser lido, até que um dia tudo mudou com a chegada de um grande leitor que spoderia ser a ponte para o sucesso daquele pobre livro abandonado.
Mas o que aconteceu com o livro ?

Ele realmente vai ser lido ? Ou só mudará de lugar?

Será que ele vai ser reconhecido como um best seller, como ele tanto sonhava?

Leia e descubram!
A segunda parte conta a história de Anna,uma jornalista , editora de uma revista de negócios , totalmente voltada para o trabalho, quase não tem tempo pra si mesma.

Anna foi promovida no trabalho e estava feliz e preocupada ao mesmo tempo, tinha uma vida quase perfeita,exceto pelo vazio que existe em sua alma, provocada por uma grande perda, que ainda à impedia de amar novamente.

Após a promoção no trabalho , Anna decidi viajar em férias por 15 dias, e decidi ir para Petra, na Jordânia, e depois passar por Paris.

Com receio de viajar sozinha, convida a amiga Dany para ir junto, mas a amiga não pode ir.Anna pensa em cancelar a viagem, mas depois de algumas sessões com seu novo terapeuta idicado pela amiga, toma coragem para viajar sozinha mesmo, pois acredita que precisa de um tempo só dela e sente que algo muito bom está par acontecer com ela nessa viagem.

Então em Petra, em um de seus passeios turisticos, Anna tem uma grande surpresa,ela conhece John, um turista americano e surge uma grande paixão entre eles, mas John não é quem ela pensa , ele ..

Quem é John? Porque ele foi importante pra Anna?

O que será que acontecerá com eles? Será que enfim será feliz , ou não?

Leia e descubra #haha .

'' Cabe a nós permitir ao Universo a concessão de nossas vontades e lutar , insistir e correr atrás para conseguir,pois os estoques do universo são incomensuráveis.Cada desejo,cada pedido está guardado, reserdado a cada um de nós.Se não nos permitirmos receber , ficará lá, para sempre, à nossa espera ...''

Página 156


Bom, as duas partes do livro se completam perfeitamente.

Elas nos mostram como os nossos pensamentos e escolhas interferem na nossa vida e de como o Universo conspira a nosso favor, a partir do momento em que deixamos ele agir sem sermos pessimistas e lutando pelos nossos sonhos e objetivos.

Esta obra é fantástica, o modo como a Regina descreve cada detalhe é lindo e de tirar o fôlego.
É uma história que te faz renascer e ver como você mesmo as vezes destrói as grandes oportunidade cedidas pra você.

Estou encantada com esse livro, ele me fez refletir de como eu levo minha vida e do que faço para realizar os meus objetivos.
Simplesmente fantástico!
Vou parar por aqui , porque senão eu me empolgo e acabo falando demais.
Então é isso gente.
Leia porque vocês vão amar.Vale super a pena!
Parabéns Regina Monge.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

A Escolha de Cada Um


Resenha postada pelo blog: http://feliciity-unjourdepluie.blogspot.com/2010/10/autores.html

Regina Monge

"Meu nome é Regina Monge, 43 anos. Cheguei em São Paulo há mais de vinte anos, vinda de Águas de São Pedro, cidade do interior paulista, uma estância turística e considerada um dos menores municípios do país.

Aqui estudei Comunicação Social me especializando em Produção Editorial; depois cursei especialização em Propaganda e um MBA em Marketing e, por último, já como hobby, fiz uma extensão em História e Linguagem do Cinema.

Desde minha graduação, sempre trabalhei na área de comunicação, iniciando em um editora, depois gráfica, agência, empresa de eventos e consultoria.

Recentemente, montei minha própria agência de comunicação a VERTS Comunicação (www.vertscomunicacao.com.br) à qual estou dedicando quase todo o meu tempo, porque assim como não é fácil ser escritor, nesse país, também não é fácil tornar-se um empreendedor de sucesso, partindo do zero.

Moro na zona sul de São Paulo e minha família continua no interior.

Em julho, publiquei pela Novo Século Editora meu primeiro livro ‘A Escolha de Cada Um'. "


Sinopse:

Fazer escolhas é algo que faz parte da vida de todo mundo, e isso é algo que não tem como não generalizar. Sejam elas pequenas escolhas que fazemos até por ato reflexo, ou ainda aquelas que decidem todo o curso de nossa vida futura. Fazer uma reflexão sobre essas escolhas e as conseqüências que elas nos trazem é o que nos propõe esse livro aparentemente despretensioso de Regina Monge. A Escolha de Cada Um (2010) é um livro incomum da literatura contemporânea brasileira – trata-se de um lançamento da editora Novo Século. O livro funciona como desencadeador de reflexões, mas feito de forma criativa, principalmente pela forma como é narrado.

Logo de início o que mais chama a atenção é o narrador, que é um livro. Isso mesmo, mais um daqueles livros com narradores excêntricos, depois de Zusak usar a morte e Taty Ades o diabo, Regina usa um livro para narrar suas desventuras até se torna um best-seller. Aqui o livro ganha sentimentos e emoções bem parecidas com as nossas, fazendo com que funcione como uma alegoria, mas pode também funcionar como um marketing para o próprio livro e para o hábito da leitura. Talvez isso seja fruto da formação da autora que é comunicóloga e especialista em marketing e produção editorial. Mas não é só isso, porque talvez ficasse muito estático um livro de 160 páginas narrando apenas a “vida” de um exemplar de um livro. Então A Escolha de Cada Um (Novo Século, 160 pág.) ganha uma segunda parte, que segundo a autora veio como inspiração dez anos após ter a idéia de escrever a primeira.

Quem nunca se deparou com uma história que girasse em torno de determinado livro e ficou curioso pra saber do que se tratava seu conteúdo? Então essa é a grande jogada da autora aqui, pois é exatamente disso que se trata a segunda parte do livro. Na primeira parte ficamos conhecendo o livro esquecido do famoso e falecido autor J. Hubert até que um dia é descoberto por uma jornalista e se torna fenômeno mundial. Daí a segunda parte nos traz a história que esse livro-narrador carrega consigo e que acaba encantando a todos. Com o título de Um Novo Tempo (que parece ser o título do livro-narrador-personagem) entramos na vida de Anna, uma mulher que está no auge de sua carreira, mas mesmo assim não está feliz com sua vida pessoal, que se encontra bloqueada para o amor por conta de traumas passados.

Quando surge então a oportunidade de viajar para Petra, na Jordânia, cidade dos seus sonhos, ela se ver diante de uma nova experiência que irá marcar a mudança de toda sua vida. Ela conhece John e com ele vive um romance rápido, mas que parece firme demais. John mora em Nova York e esse é o único empecilho para o romance dos dois, alguém terá que abrir mão do seu lugar de origem para se doar ao outro e viver um grande amor. Porém nem tudo sai como esperado, Anna tem que fazer uma escolha difícil para no fim se deparar a maior das imprevisibilidades. O romance permeia o sobrenatural e o espiritualismo universal em determinado momento, mas não faz proselitismo barato, apenas nos insere em um assunto pouco comum e que é bastante curioso. Quem nunca se perguntou se coincidências realmente existem?

O livro se encerra com um final aberto, mas explicado pelo narrador, algo que mostra transcendência daquilo que ele carrega. Não digo que se trata de um livro de auto-ajuda, mas sim de um livro que desperta reflexão e nos permite acordar para momentos sublimes como esses em que temos que decidir. Além de uma bela história, é possível desfrutar de uma viagem psicológica pela vida dos personagens e na nossa própria vida pessoal. Não há quem não se identifique com pelo menos um dos setores afetados na vida dos personagens e é isso que irá garanti sua leitura até o fim.

É uma leitura mais que recomendada a todos, mas a escolha é de cada um.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

resenha postada pelo blog: pensamento tangencial

A Escolha de Cada Um

Vi esse livro "A Escolha de Cada Um", de Regina Monge, em alguns blogs e fiquei curiosa para conhecê-lo. Mas, ao ler as resenhas, confesso que estava indecisa se iria lê-lo ou não.

A autora da obra, Regina Monge, me deu o privilégio de formar parceria com o meu blog. Em vista disso, tive o prazer de entrar em contato com a sua obra, que veio com uma linda dedicatória e com um marcador muito belo.

Simplesmente amei a forma de Regina escrever!

A estrutura do livro é um tanto peculiar. Divide-se em duas partes e não é divido por capítulos. São duas histórias narradas na íntegra, o que faz com que você leia muito rápido. Além disso, por ser uma história gostosa, você não tem vontade de parar de ler.

A primeira parte do livro é uma história narrada por um livro. “Como assim?” você deve estar pensando... Sim, é isso mesmo. A história começa com um livro narrando a trajetória da sua criação até a sua venda nas livrarias. Através da narrativa feita pelo livro, ficamos conhecendo o seu autor, a família deste, bem como, outros personagens que, de forma indireta, acabam entrando na história e se tornando protagonistas principais. Fiquei admirada com a criatividade da autora! Um livro narrando a sua própria história... Ainda não tinha visto nada igual, muito legal!

Esse livro (o narrador da história) é muito especial, pois o seu conteúdo “mexe” com todos que o leem.

A segunda parte da obra é o livro propriamente dito! “Ai Angélica, não estou entendendo.

Sim, a primeira parte é o “livro” contando a sua história até chegar às prateleiras e ao sucesso. Ao acompanhar a história, você fica doida(o) para poder ler esse livro! Então, chega esse momento na segunda parte. A história contida no livro traz Anna como personagem principal.

Anna possui uma vida repleta de luta e superação que, devido a um acidente trágico ocorrido no passado, faz com que ela se “feche” para o amor. Até aí uma história normal, né?

Sabe o que faz com que “A Escolha de Cada Um” tenha se tornado um dos meus livros favoritos? São as mensagens contidas no meio destas histórias! No último capítulo cheguei a me arrepiar e enchi os olhos de lágrimas. A autora conseguiu me tocar, assim como irá tocar vocês também!

Achei linda a mensagem passada pela obra! Mensagens do tipo, devemos ficar abertos para as oportunidades que o universo nos oferece, devemos correr atrás dos nossos sonhos por mais difícil que pareça, não basta ficarmos de braços cruzados esperando que o universo realize nossos desejos, temos que fazer acontecer, entre outras.

Até anotei algumas frases para postar para vocês:

Frases ditas pelo personagem “livro”:

“Ser lido é o sonho de qualquer livro, porque representa respirar, obter forças para lutar por ideais. Ser lido é existir nesse mundo das letras e das lutas.”

“Minha certeza são estes fatos e acontecimentos que estão pairando no ar: acontece qualquer coisa, com qualquer um. Basta acreditar, ser persistente, ter fé, estar preparado para quando a oportunidade passar, tendo a mão estendida para agarrá-la.”

Agora se o gênero do livro é autoajuda, romance, realismo, surrealismo ou espiritualismo... Concordo plenamente com o que Horacio de Benedicto Filho diz no prefácio: Regina Monge “deu-se todos os direitos. É uma obra que convida à reflexão. E isso é muito bom, faz falta às pessoas.”

Eu poderia ficar dias falando sobre “A Escolha de Cada Um”, mas infelizmente tenho que resumir em apenas um post. Uma coisa é certa, esse livro faz a diferença, inspira , leva à reflexão, nos faz sonhar e ver que o impossível pode se tornar possível.

Enfim, adorei! Obrigada Regina por ter me dado esse imenso prazer!

Nota: 10

Recomendo!!!

Blog da autora: http://aescolhadecadaum2010.blogspot.com/
Skoob: http://www.skoob.com.br/livro/120320

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Resenha postada pelo blog Livromaníaca


A Escolha de cada Um - Regina Monge

"A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios...
Por isso, cante, ria, dance, chore e viva intensamente cada momento de sua vida, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos."
Charlie Chaplin

A Escolha de cada Um foi escrito por Regina Monte e publicado pela Editora Novo Século, pelo selo Novos Talentos da Literatura Brasileira. Contém 157 páginas, e é dividido em duas histórias que estão interligadas:

1º Parte - A primeira parte foi uma completa surpresa pra mim, uma surpresa maravilhosa na verdade, pois é narrado por um livro. Isso mesmo, a primeira narrativa é de um livro que não obeteve muito sucesso quando foi publicado, mas que sabia do seu potencial e ansiava pelo momento de ser um best-seller.

Esse livro é a segunda obra publicada por J.Hubert, a primeira foi um sucesso instantâneo, portanto para a segunda obra todos tinham expectativas e ansiavam por uma continuação do primeiro. Como a história era diferente do que os leitores aguardavam, a midia "caiu matando" e criticou o livro até este ser esquecido. Até que um homem o compra em uma livraria e sua jornada para o sucesso começa...

A narrativa do livro é maravilhosa, se eu já tinha problemas em pensar que os livros tinham sentimentos, agora então... Regina Monge conseguiu narrar os pensamentos que um livro teria, caso este pensasse, e seus objetivos. AMEI

2º Parte - Nessa segunda parte conhecemos a história da segunda obra de J.Hubert. Sim, o livro que é o personagem da primeira parte.

Nessa narrativa conhecemos Anna, que vive exclusivamente para sua vida profissional e não se importa de ficar sem companhia. Isso pelo menos é o que ela demonstra aos pais e também aos amigos. Ela tem um trauma terrível pela morte de seu primeiro amor em um acidente, desde daquele momento ela não se "abre" para um relacionamento e se esconde em seu trabalho.

Mas vinte anos depois, com uma dose certa de terapia e uma viagem inesquecivel, Anna finalmente começa a se libertar e viver intensamente. Lá ela conhece John e se apaixona.... finalmente ela se liberta de seu medo de amar e está pronta para se apaixonar quantas vezes for necessário para finalmente ser feliz!

A narração da luta da personagem para ser feliz e se libertar de um amor passado é encantador e motivador. Quem ler esse livro realmente passa a ver a vida de outra maneira. E a frase de Charlie Chaplin é bem adequada para a mensagem que o livro nos passa.

Nota: 5/5

Links:
http://www.skoob.com.br/livro/120320
http://twitter.com/ReginaMonge




quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Resenha postada pelo blog Canto de Meninas

A escolha de cada um - Regina Monge



Sinopse:

A Escolha de Cada Um nos ensina a reconhecer nossas limitações, nossos problemas, e nos impulsiona a ir ao encontro das soluções, buscar as oportunidades que a vida nos oferece. Alerta-nos para combatermos nossa inércia, nosso amortecimento, pois eles nos imobilizam, impedindo-nos de enxergar acontecimentos importantes. Esquecer o passado e ir em busca de nossos sonhos, nossos ideais. Ensina também que a existência continua, mostra um caminho iluminado, deixando-nos ver os obstáculos a superar. Dá a todos os mesmos direitos: à felicidade, ao sucesso, ao amor. Ele nos ensina a fazer escolhas. Escolhas certas. É um livro instigante, porque mistura realidade cotidiana com trechos totalmente surrealistas, História; e fala, acima de tudo, sobre o amor e seu poder de transformação.

Minha Opinião:

Esse livro foi uma grata surpresa para mim, uma das leituras mais diferentes que tive a oportunidade de ler nos últimos tempos.
A escolha de cada um é acima de tudo um livro para reflexão.
Ele tem uma estrutura um tanto quanto diferente: é dividido em duas partes, a primeira é bem interessante pois é a história de um livro (como se dá o processo de criação, revisão, publicação etc) tudo isso narrado pelo próprio livro, sim isso mesmo, o livro conta sua própria história de superação dos obstáculos, já a segunda parte é história de amor com um final surpreendente, juro que não esperava que o desfecho fosse daquele jeito, me pegou completamente desprevenida mas foi uma linda surpresa.

Amei o livro, ele alcançou seu objetivo comigo, me fez refletir sobre minhas escolhas, minha vida, minhas prioridades e me emocionou sobremaneira.
Regina Monge tem uma escrita repleta de emoções, o livro transpira sentimentos do começo ao fim, mas ao mesmo tempo tem um lado racional e realismo bem apurados.
A ficção é usada em prol da reflexão como uma ferramenta para auxiliar no entendimento das ideias passadas pela autora, no entendimento dos sonhos.

A escolha de cada um é uma leitura ideal para aqueles que desejam e sonham em mudar suas vidas, têm escolhas significativas para fazer ou têm dúvidas para tirar e precisam de palavras de entendimento e auxílio.
É um livro que incentiva a realização dos sonhos.
Para mim foi uma experiência ótima, aprendi muito e recomendo a leitura.
Bjs